[Antevisão] Vagos Metal Fest 2017 – Dia 2: Soulfly, Powerwolf, Primordial, … | Ultraje – Metal & Rock Online
Features

[Antevisão] Vagos Metal Fest 2017 – Dia 2: Soulfly, Powerwolf, Primordial, …

soulfly-2017

Vagos Metal Fest – 11, 12 e 13 de Agosto

-/-

Quatro da tarde será a hora de acordar para muita gente em Vagos, por isso nada melhor do que começar o segundo dia do festival com pontapé e chapada. Da Alemanha, os Implore, com o seu death/grind, são uma das grandes apostas da Century Media Records. Se “Depopulation” (2015) foi um bom álbum, “Subjugate” (Setembro 2017) não deverá ficar atrás. Pode ser que apresentem algo novo – a malta agradece. De seguida temos que passar meia Europa para fazer chegar os Brutality Will Prevail do País de Gales com o seu sludge metal (com pitadas de hardcore) que nos fará estorricar a psique ao Sol.

 

Directamente de Setúbal, os Hills Have Eyes já dispensam apresentações e trazem consigo o seu metalcore moderno e orelhudo – de falta de energia não serão acusados. A fase dos grandes começa às 18:40 com os veteranos Metal Church que reataram em 2012 e desde então já lançaram dois álbuns, sendo “XI” o mais recente de 2016. De certo farão as delícias da velha-guarda presente e mostrarão aos mais novos como é ser uma das influências de Metallica.

 

Rituais e respeito por tempos idos serão exaltados pela hora de jantar com o nome alto do metal irlandês: Primordial. Apaixonados pelo nosso país, a banda comandada por Alan Nemtheanga será a companhia ideal para dizer ‘até amanhã’ ao Sol e (re)iniciar ritos ébrios. “Where Greater Men Have Fallen” (Metal Blade Records, 2014) é o último álbum, mas todas e todos os presentes vão exigir, como sempre, várias incursões a “To the Nameless Dead” (Metal Blade Records, 2007).

 

A faceta pagã deste segundo dia do festival continua com os finlandeses Korpiklaani, mas desta feita com uma postura mais alegre e festiva. Adeptos de cerveja, dança, futebol e, claro, metal, a banda de Lahti não vai ficar desapontada com o calor português, nem nós vamos deixar o corpo quieto. Vai ser farra da boa!
Soulfly é daquelas bandas sobre as quais nem sempre se tem uma palavra positiva a dizer, mas depois, na hora H, os recintos estão cheios. Com o carismático Max Cavalera a comandar esta horda primitiva, os Soulfly prometem um concerto à moda antiga: muito espírito e muita porrada. Max Cavalera não deixará de puxar por Portugal e nós só temos que responder com eficácia – basta oferecer-lhe o mosh mais violento que conseguirmos.

 

Para iniciar uma agenda episcopal, o recinto do Vagos Metal Fest tem de se transformar numa igreja – tipo aquelas brasileiras ao ar livre, só que em heavy metal e Satanás. De sacerdotes a caçadores de vampiros ou de exorcistas a agentes em conluio com o Diabo e o Vaticano ao mesmo tempo, os Powerwolf subiram a pulso até se tornarem uma instituição contemporânea do power metal europeu. Há muito que se pedia esta banda em Portugal – ei-los!

 

Polacos de certidão mas enigmáticos de feição, os Batushka são uma das maiores e mais arriscadas surpresas deste segundo Vagos Metal Fest. Ilustres sacerdotes ortodoxos virados do avesso, estes padres do Leste vão exorcizar demónios e fazê-los rodopiar invisivelmente por toda a Quinta do Ega com o seu black/doom metal litúrgico. “Litourgiya” fica para a posteridade como um dos melhores álbuns de 2015.

 

-/-

(Antevisão do dia 1 AQUI)

Topo