[Antevisão] Vagos Metal Fest 2017 – Dia 3: HammerFall, Gorguts, Whitechapel, … | Ultraje – Metal & Rock Online
Features

[Antevisão] Vagos Metal Fest 2017 – Dia 3: HammerFall, Gorguts, Whitechapel, …

hammerfall-landscape-2_2016Foto: Tallee Savage

Vagos Metal Fest – 11, 12, 13 de Agosto

-/-

O último dia do Vagos Metal Fest começa a meio da tarde com um representação espanhola: os Reaktion. Com um single de 2015 e um álbum de 2016, o início de carreira destes thrashers não podia ser mais auspiciosa. E se lhe juntarmos um pouquinho de hardcore não fará mal – só fará bem!
Cinquenta minutos depois sobe ao palco uma das duas bandas nacionais do dia: os Attick Demons. De Almada apresentam um heavy metal muito britânico e uma voz que soa muitas vezes a Bruce Dickinson – e não é exagero! “Let’s Raise Hell”, de 2016, é o disco mais recente.

 

A outra banda portuguesa dá pelo nome de Miss Lava. Senhores de um stoner rock/metal espesso e veloz, a banda do sul tem-se vindo a internacionalizar e o sucesso tem sido sinónimo de maturidade. Um concerto a não perder sob um Sol escaldante – esperemos – que nos colocará em desertos áridos.
E se o stoner vem dos EUA, nada melhor do que de seguida, pelas 18:30, receber uma banda desse país. De Salt Lake City, os Chelsea Grin arrebatarão Vagos com deathcore, o estilo que tem feito as delícias dos metalheads do outro lado do Atlântico.

 

De volta ao thrash metal mas sem deixar os EUA, os Havok não entram por modernices e, jogando pelo seguro, lançaram “Conformicide” no passado mês de Março através da Century Media Records. Vozes rasgadas e malhas old-school são parte essencial da banda e serão, obviamente, também do concerto.
Os Whitechapel, que são mais uma banda oriunda dos EUA, fazem companhia aos Chelsea Grin com mais uma toada de deathcore. Com seis discos, sendo “Mark Of The Blade” o mais próximo da actualidade (2016, Metal Blade Records), o sexteto é bom a oferecer melodia intercalada com dissonância, sem esquecer a pujança vocal de Phil Bozeman.

 

Considerada uma das bandas que melhor carregou o som e espírito do heavy metal durante a década de 1990, os suecos HammerFall não se renderam a uma suposta caminhada no deserto após “Threshold” (2006) e batalharam para chegar a álbuns como “(r)Evolution” (2014) e “Built To Last” (2016), este último que é o mais recente e ao qual mais se incidirá o concerto. Se a voz de Joacim Cans estiver no ponto e o pulso de Oscar Dronjak estiver bem calibrado, é certo e sabido que estaremos perante uma noite inesquecível de heavy metal. Aqueçam as gargantas que os hinos não poderão faltar!

 

Para os que acham que o deathcore não é extremismo a sério e é coisa para adolescentes, então a uma da madrugada traz o death metal vanguardista do canadianos Gorguts. A criar agressividade desde 1989, a crítica diz que estes veteranos não sabem fazer música má e prova disso é o muito aclamado EP “Pleiades’ Dust” (2016, Season Of Mist).
A segunda edição do Vagos Metal Fest podia acabar com ânimo e energia? Podia, mas os mais pessimistas e saudosistas instantâneos daqueles três dia não iriam achar que era a mesma coisa. Por isso, o terceiro e último dia desta reunião metálica vai encerrar com o doom metal arrastado e sofrido dos Cough. Depois será um “até para o ano se nos virmos!”.

Topo