Avantasia “Ghostlights” [Nota: 7/10] | Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

Avantasia “Ghostlights” [Nota: 7/10]

127596_Avantasia___GhostlightsEditora: Nuclear Blast
Data de lançamento: 29 Janeiro 2016
Género: heavy/power metal

Tobias Sammet é uma espécie de super-estrela do power metal alemão. Tudo em que toca parece transformar-se em ouro, mas mesmo ele estava longe de imaginar quando decidiu, no início dos anos 00, iniciar os Avantasia, o sucesso que obteria. Actualmente, com meia-dúzia de álbuns editados, o projecto paralelo do cantor e multi-instrumentista é uma espécie de supra-sumo das rock-óperas aplicadas ao heavy metal, um Ayreon 2.0 que os fãs de hard rock, heavy metal melódico e power metal europeu se habituaram a esperar e a apreciar sem reservas nem desilusões.

“Ghostlights” é, pois, o sétimo capítulo da Aventura Avantasia e volta a ser um festim de colaborações da equipa constituída por Sammet e pelo guitarrista Sascha Paeth. As mais “fora da caixa” são “Draconian Love”, canção de rock gótico à Sisters Of Mercy em que Herbie Langhans (Sinbreed, Seventh Avenue) dá uma mão nas vocalizações e também “Isle of Evermore”, dueto de Tobias com Sharon den Adel (Within Temptation), single para rádios comerciais de melodia bem açucarada e estrutura redondinha. Estes são os temas que podem transformar “Ghostlights” na típica rock-ópera esquizofrénica que tanto está a disparar temas de power metal cheios de solos e riffs empolgantes (o ex-At Vance Oliver Hartmann e Bruce Kulick, dos Kiss, são os “ajudantes” de Sascha Paeth) como a dar diferentes tons e aromas às canções com vocalistas de personalidade tão forte e diferente como Marco Hietala (Nightwish), Geoff Tate (ex-Queensrÿche), Dee Snider (Twisted Sister), Michael Kiske (ex-Helloween), Bob Catley (Magnum) ou Jorn Lande (ex-Masterplan).

Por isso, se são fãs dos típicos refrões gigantes, melodias pegajosas e produção levada aos píncaros da perfeição que normalmente caracterizam os discos de Avantasia, “Ghostlights” não vos desiludirá e cumpre, ponto a ponto, todas as premissas criadas por Tobias Sammet há década e meia. Se nunca foram com a “cara” do projecto não é agora, com a experiência e a classe a compensar alguma falta de inspiração e entusiasmo, que isto vos vai salvar a vida.

7/10
Topo