Banda do Dia: Adamantine (Portugal – thrash/melodic death metal) – Ultraje – Metal & Rock Online
Banda do Dia

Banda do Dia: Adamantine (Portugal – thrash/melodic death metal)

17349695_1596238010404422_3164715909331529757_o

Banda: Adamantine
Último lançamento: “Heroes & Villains” (2017)
País: Portugal
Estilo: thrash/melodic death metal
Links: Facebook | Bandcamp
Respostas: André Bettencourt (voz / guitarra)

Sobre o último lançamento:
«”Heroes & Villains” é o nosso segundo disco. Marca o regresso da banda aos lançamentos depois de um hiato de três anos e coincide também com os 10 anos da banda. O disco foi todo composto e gravado por mim entre 2015/16 nos Nirvana Studios. Continua a linha de thrash metal/melodic death do anterior “Chaos Genesis”, desta vez com maior ênfase na veia de heavy metal clássico. O conteúdo lírico do disco é extremamente pessoal e reflecte sobre esses três anos difíceis que vivi. Fala de introspecção, a luta constante contra a depressão, a vontade de quebrar os ciclos viciosos e tentar encontrar de novo o rumo. No geral, aborda a dicotomia entre o melhor e o pior que existe dentro de nós. Aquilo que escolhemos ser a cada dia que vivemos é que nos define. A mensagem do disco é comum a muitos desta geração, que se poderão sentir por vezes sozinhos ou perdidos mas que tentam resistir seguindo em frente, mesmo quando as adversidades são muitas. A todos esses, eu dedico este disco.»

Ambições:
«O maior objectivo com este disco era o de gravar música nova, lançá-la ao público e voltar aos palcos com uma formação renovada. Todos esses objectivos foram cumpridos em 2017, estivemos inclusivamente no VOA Fest 2017.  A ambição para 2018 é a mesma – fazer mais discos, compensar o tempo perdido e se possível tocar mais ao vivo e ultrapassar a barreira da internacionalização.»

Influências/referências:
«Oiço todo o tipo de música e dentro do metal vou buscar influências a vários subgéneros, mas os mais predominantes talvez sejam o thrash, death e o heavy Metal. Desde bandas clássicas como Iron Maiden e Metallica a bandas como Death, At the Gates e Yngwie Malmsteen. Gosto de misturar o old-school com as sonoridades mais modernas. Não tenho medo de arriscar e fazer música que está entre ambos, para mim não tem de ser tudo branco ou preto.»

Futuro:
«O próximo passo será gravar o terceiro disco. Já comecei a reunir ideias, em breve irei começar a gravar demos. Ainda estou na fase inicial de inspiração mas já existem ideias bem concretas para aquele que será o sucessor de “Heroes & Villains” e vou fazer os possíveis para lançar ainda este ano.»

Topo