Beorn’s Hall “Estuary” [Nota: 7/10] – Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

Beorn’s Hall “Estuary” [Nota: 7/10]

693592Editora: Naturmacht Productions
Data de lançamento: 24 Fevereiro 2018
Género: pagan/black metal

Dois anos, dois álbuns – e pelo andar da carruagem não parece que este duo norte-americano vá abrandar. Beorn’s Hall é um nome sacado do universo de Tolkien, mas o conceito da banda é bem mais real do que isso, visando as majestosas e gloriosas paisagens de New Hampshire, assim como a vida costeira – o título do álbum fala por si.

Inspirados também na produção de bandas de death e black metal do início dos anos 90, Vulcan e Rognvaldr pegaram em equipamentos vintage para criarem este “Estuary” de modo a darem-lhe um toque antigo, mesmo que parte do que aqui se passa seja contemporâneo – afinal estamos perante um álbum que pode ser classificado como black metal atmosférico, mas não só. Isto é, tanto estamos perante uma secção quase depressiva com reminiscências de Burzum como somos abalroados por segmentos destrutivos na veia de Wolves In The Throne Room. Pelo meio há ainda muito folk metal – ora dançante, ora guerreiro – com arranjos de teclados a fazer lembrar instrumentos antigos, vozes cantadas como se de rituais se tratassem e composições de guitarra acústica que se enquadram de forma perfeita entre toda a distorção dos instrumentos orgânicos relacionados ao metal.

Ao longo de nove longas faixas, a dupla norte-americana envolve-se, e envolve-nos, num microclima muito próprio que tanto nos relembra Mirkwood ou a Cascádia como nos coloca num cais à espera de um barco que nos levará a descobrir o desconhecido, começando num estuário e acabando sabe-se lá onde e perante sabe-se lá o quê. E por mais real que seja o som que sai das colunas, uma das grandes facetas de Beorn’s Hall é mesmo esta: a aventura.

7/10
Topo