Reviews avulso: Blooming Carrions | Deny The Urge | HeadCrusher | Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

Reviews avulso: Blooming Carrions | Deny The Urge | HeadCrusher

Blooming_carrions_coverartBlooming Carrions “Sparkling Rotten Dreams” [Nota: 7/10]
Editora: Iron Bonehead Productions
Data de lançamento: 04 Agosto 2017
Género: death metal

Com o intuito de criar um death metal negro e distorcido, o finlandês EvM, sob Blooming Carrions, surge com a demotape “Sparkling Rotten Dreams”. Em três faixas – num total de 15 minutos – o músico oferece boas composições ao nível duma guitarra que acaba por ter alguns trejeitos de black metal devido a esporádico tremolo picking. Com uma produção crua q.b., o “fundo do poço” ficará melhor personificado através dos guturais completamente imperceptíveis, algo que no cômputo geral até seria escusado tendo em conta a restante boa abordagem musical/instrumental – é que nem mesmo os Cannibal Corpse foram tão longe.

 

-/-

658235Deny The Urge “As Darkness Falls” [Nota: 7.5/10]
Editora: G.U.C.
Data de lançamento: 01 Agosto 2017
Género: death metal

O death metal dos germânicos Deny The Urge é facilmente dividido em três pontos que se unem no final: rapidez, dureza e espontaneidade, sendo que esta última será a particularidade mais suculenta deste “As Darkness Falls”. Pelo meio de malhas selvagens e blast-beats precisos, a nossa cabeça vai mexer-se sozinha em espasmos que não controlamos, tal é a violência da dita espontaneidade. Sem deixar totalmente de lado algum tecnicismo – mas não aquele desenfreado e matemático –, o trio oferece bons riffs que agarram a atenção sem grandes dificuldades. Referir ainda algum sentido de refresco à cena death metal, especialmente através da inclusão de teclados. Ah, e o baterista é James Stewart, aquele que está nos polacos Vader desde 2011.

 

-/-

Death_Comes_With_Silence_ArtHeadCrusher “Death Comes with Silence” [Nota: 8/10]
Editora: independente
Data de lançamento: 28 Julho 2017
Género: modern metal

Numa mistura equilibrada entre thrash, death e metalcore – tudo em doses modernas –, os HeadCrusher (com base no Texas, EUA) oferecem um nível bastante interessante de densidade e brutalidade que, muitas vezes, falta às bandas que dão os primeiros passos no underground. Com execução rápida e ferocidade surpreendente, o quinteto é uma lufada de ar fresco na cena a que chamamos de modern metal. “Death Comes with Silence” é, assim, presenteado ao mundo com duas mãos cheias de metal de excelência. Com tamanha corpulência sonora será difícil fazer com que a morte venha em e com silêncio. Os HeadCrusher dão o exemplo: as bandas do underground não precisam de desculpas e desculpinhas.

Topo