#ChooseUltraje

Features

[Exclusivo] Cellar Darling detalham “This Is The Sound” com a Ultraje

Diogo Ferreira

Publicado há

-

220095_cellar_darling_waterfall_1_orig

Depois de publicada a entrevista e a review, os Cellar Darling voltam a falar à Ultraje, desta vez para especificarem alguns conceitos que povoam “This Is The Sound”, o primeiro álbum do trio suíço lançado pela Nuclear Blast.

«Acho que a canção deve ser aquilo que queres que seja!»

Sobre a inaugural “Avalanche”, acho que encontrei um jogo de palavras… Avalanche, ava-lava-lanche… Pode ser um trocadilho para destruição pelo gelo e pelo fogo?
Anna: Acho que a canção deve ser aquilo que queres que seja! Essa é, definitivamente, uma interpretação interessante com muita verdade. A canção é sobre um culto suicida que atrai as vítimas às montanhas – desencadeiam-se avalanches através do canto tirolês para se ficar coberto de neve e congelar. O jogo de palavras com lava encaixa-se no nosso vídeo.
Merlin: Nem tinha pensado nisso! É um ângulo muito porreiro. Como se verá, no vídeo sente-se mais fogo do que neve, portanto encaixa…

Temos uma canção chamada “Water” e outra chamada “Fire Wind & Earth”. Porquê separar os Elementos em duas faixas?
Anna: “Fire Wind & Earth” é cantada na perspectiva da Água, que está em guerra com os outros Elementos e a ficar mais fraca. A faixa “Water” representa a calma antes da tempestade… É tipo uma intro para “Fire Wind & Earth”.

Qual é o papel de personagens – vou chamar-lhes personagens – como “The Hermit”, “Rebels” e “Starcrusher”? Partilham redenção ou apocalipse entre elas?
Anna: Para além de serem personagens do universo de Cellar Darling nada as liga, [porque] são histórias separadas.
O Eremita [“The Hermit”] decidiu viver em solidão, deixando para trás os hoi polloi (grego para “os vários”, muito usado hoje em dia como uma expressão para a classe trabalhadora, mas que não é a isso que me refiro). Com a utilização de magia e sabedoria, ele constrói um covil que não se consegue encontrar de modo a ter a certeza que ficará sozinho até à sua morte.
Os rebeldes [“The Rebels”] fazem parte de um reino fraudulento e utópico governado por um rei covarde. Encontram-se à noite e fogem juntos. A canção é muito metafórica e descreve mais uma rebelião mental. O que desencadeou as ideias para a canção (que, por acaso, foi a primeira a ser escrita) foi termos deixado a nossa banda anterior para trás em solidariedade.
A Destruidora de Estrelas [“The Starcrusher”] é uma fada furiosa, cabeluda e obesa que está chateada com o mundo e causa caos. Gosta, especialmente, de destruir estrelas e tornar o mundo um sítio mais negro.

 

Features

Nuno Bettencourt, Tom Morello e Scott Ian tocam tema de Game Of Thrones

Diogo Ferreira

Publicado há

-

Consagrada como uma das séries mais populares de sempre, Game Of Thrones, que terminou na última madrugada, teve a capacidade de exultar nos seus fiéis seguidores todas as emoções desde o seu início com o genérico criado por Ramin Djawadi.

No clip abaixo, Djawadi é acompanhado por Dan Weiss (criador da série), Tom Morello (Rage Against The Machine), Scott Ian (Anthrax), Nuno Bettencourt (Extreme) e Brad Paisley numa jam session com as novas guitarras Fender em que tocam precisamente o tema principal de Game Of Thrones com muito free-style solista pelo meio.

Continuar a ler

Features

Sabaton History Channel, ep. 15: o Barão Vermelho

Diogo Ferreira

Publicado há

-

No novo episódio do Sabaton History Channel, Joakim Brodén e Indy Neidell escolhem falar do tema “The Red Baron” que pertence ao próximo álbum “The Great War”, a ser lançado a 19 de Julho pela Nuclear Blast.

O Barão Vermelho é um do ícones heróicos da I Guerra Mundial que, simultaneamente, engloba a mecanização e a romantização da guerra moderna com as suas habilidades e heroísmo. Manfred von Richthofen é o nome verdadeiro do piloto que é, então, recordado em mais um episódio do Sabaton History Channel.

Mais episódios AQUI.

Continuar a ler

Features

Jinjer ao vivo no Resurrection 2018 (c/ vídeo)

Diogo Ferreira

Publicado há

-

Foto: Veronika Gusieva

Abaixo podes assistir à prestação dos Jinjer no Resurrection de 2018. Recentemente disponibilizado pelo próprio festival, este vídeo servirá para aguçar a vontade que os fãs desta banda têm para os ver no Vagos Metal Fest deste ano. Nos quase 40 minutos de concerto, os Jinjer executaram temas como “Words Of Wisdom”, “I Speak Astronomy”, “Pisces” ou “Captain Clock”.

O EP “Micro”, lançado em Janeiro de 2019 pela Napalm Records, é o registo mais recente dos ucranianos que, como referido, actuarão no Vagos Metal Fest, evento que se realiza entre 8 e 11 de Agosto. Stratovarius, Six Feet Under, Satyricon, Candlemass, Death Angel, Watain e Alestorm são alguns dos nomes do cartaz.

Continuar a ler

Facebook

#UltrajeRadar

Ultraje #21