Ghost Toast “Out Of This World” [Nota: 9/10] | Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

Ghost Toast “Out Of This World” [Nota: 9/10]

ghost-toast-capaEditora: Inverse Records
Data de lançamento: 07 Junho 2017
Género: prog

A primeira e maior dificuldade, quando se fala dos húngaros Ghost Toast, é conseguir catalogar a música que nos apresentam. É metal? Tem elementos, mas até a considerarmos metal vai um longo caminho, caminho esse que nos faz cruzar com todo o tipo de estilos, incluindo drum’n’bass… É progressivo? É… Queira isso dizer o que quer dizer…

Começando numa ponta podemos afirmar que a música é, predominantemente, instrumental. Há faixas com diálogos de filmes, baseados mesmo nos filmes de onde são tirados os excertos de diálogo, outros com vocalizações, mas tudo isso é secundário. A música sustenta-se sozinha e é na instrumentalidade que está a verdadeira essência desta banda.

Após dois álbuns editados por iniciativa própria, e que se encontram para partilha no site da banda, partilha essa que eles solicitam, apresentam-nos este “Out Of This World” através da Inverse Records.

Embora a temática do álbum esteja ligada por um conceito lato que faz ligação entre temas fantásticos e mitológicos, o mesmo já não pode ser dito da música. Cada tema tem a sua identidade própria, a sua alma, se assim quiserem. Alguns são mais lineares, outros mais diversificados em sonoridade e estrutura, sendo que a banda aponta o facto de normalmente nascerem de trabalhos de improvisação que fazem durante os ensaios como o motivador deste resultado. Na composição e execução de elevada craveira técnica consegue-se sentir bem a escola progressiva e de jazz, sendo este um grupo composto por quatro excelentes instrumentistas. Bence Rózsavölgyi na guitarra, László Papp na bateria e János Stefán no baixo trazem-nos as sonoridades a que estamos mais acostumados, mas é János Pusker que oferece a diferença nos teclados e no fenomenal violoncelo.

Como referido, temos temas baseados em livros e filmes, como o magistral “Alia” ou o “Last Man”, “The Dragon’s Tail” é apresentado como a banda-sonora de um filme que não existe e que encaixaria perfeitamente num épico nórdico nos moldes da série “Guerra dos Tronos”, temas mitológicos, como “Minotaur”, com toda a sua força herdada do metal, entre muitos outros. Para além de misturarem culturas, com o seu uso de sonoridades tradicionais, modernas ou étnicas, como em ”Kaia” ou “Ishvara” (a faixa que foi feita por encomenda), os temas reflectem emoções e despertam os sentidos. Por vezes estão furiosos, por outras melancólicos e ainda por outras animados e bem-dispostos. Sobem e descem no sentimento como acontece no nosso dia-a-dia, reflectem a vida como ela é. O álbum acaba, assim, por ser quase uma banda sonora para a vida. Como a vida, só mesmo experimentando se consegue entender a diversidade de estruturas e elementos sonoros que compõe a música dos Ghost Toast… Não é possível colocar em meras palavras.

9/10
Topo