Hiidenhauta “1695” [Nota: 7/10] – Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

Hiidenhauta “1695” [Nota: 7/10]

696387Editora: Inverse Records
Data de lançamento: 16 Março 2018
Género: black metal

Ao segundo álbum, os Hiidenhauta focam-se na Grande Fome que assolou a sua Finlândia entre 1695-1697, matando um terço da população – é considerada a maior catástrofe demográfica na Finlândia.

A banda e o próprio álbum são apresentados com o rótulo de black metal melódico, e ainda que isso não seja uma mentira também não é pura verdade. Sim, há riffs melódicos conotados ao black metal logo nas duas primeiras faixas (“Hallan valta” e “Äärellä”), mas cedo se nota algum interessante desvio para malhas puxadas aos death metal melódico. Depois não podemos esquecer o berro aberto de Tuomas Keskimäki que mais parece ser um vocalista de uma banda de hardcore e que ombreia essa posição com a voz angelical/suave de Emma Keskimäki, sendo ela o lado mais folclórico do grupo. Ao longo do disco, a catalogação de black metal começa a desaparecer devido às malhas cada vez mais dissonantes e lances muito experimentais materializados por arranjos de piano – na quarta “Musta leipä”, os Hiidenhauta retiram mesmo a bateria e as guitarras eléctricas deixando apenas os berros de Tuomas e um piano doido varrido que tanto incorre por dissonâncias como deixa pairar um pouquinho de melodia.

Hiidenhauta e este “1695” são indicados para ouvidos menos ortodoxos que gostam de novidades estranhas, mas interessantes e pertinentes.

 

7/10
Topo