Hollywood Burns “Invaders” [Nota: 8/10] | Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

Hollywood Burns “Invaders” [Nota: 8/10]

27540436_1325316414241788_1573062718472338095_nEditora: Blood Music
Data lançamento: 13 Abril 2018
Género: neoclássico / electro

Antes de pormos Hollywood Burns a tocar temos de definir um mindset para nós próprios. Há que imaginar o ambiente que se fazia sentir em meados do Séc. XX quando contos de drama e terror eram narrados na rádio, com aquelas vozes graves e cheias de boa dicção, sem esquecer a banda-sonora clássica. Depois disso, os filmes obtiveram ainda mais destaque e esse tal ambiente ganhou novas formas através do movimento transmitido pela televisão. Assim, o pavor sentido por quem estava deste lado conheceu novas dinâmicas.

Ainda assim, esta introdução só fará total sentido em relação a Hollywood Burns se adicionarmos a componente electrónica que tem estado em voga em certos núcleos de melómanos – dos amantes da electrónica retro a metálicos de mente-aberta, a Blood Music tem feito as delícias de todos nós.

Antes de partirmos à música em si, vale a pena destacar os trocadilhos exercitados em faixas como “Scherzo No. 5 in Death Minor”, “Carnal Encounters of the Third Kind”, “Bazaar of the Damned” ou “Revenge of the Black Saucers”, o que nos coloca ainda mais no mood do cinema de culto versus música electrónica retro. E tudo ainda fica melhor se recordarmos filmes como “Invasion of the Body Snatchers” (1956), “The Fly” (1958), “The Last Man on Earth” (1964), “Night Of The Living Dead” (1968) ou mesmo a paródia “Mars Attacks!” (1996).

Este disco pode soar a Giorgio Moroder, mas também se enquadra nesta época contemporânea se assinalarmos projectos como Perturbator ou Gost. Sempre com aquela toada cinematográfica, “Invaders” incorre por algumas movimentações neoclássicas que abrem caminho para a ala puramente electro através de bass encorpado e chicotadas laser que dão fundo à tela praticamente pintada por sintetizadores que imitam guitarras, zumbidos espaciais que nos rementem para filmes de aliens e uma intenção para dançar incrível. Já o sentido catchy, esse é enorme – “Invaders” não cansa e agarra-nos do princípio ao fim sem a menor dificuldade. Basicamente, Hollywood Burns é a série “Twilight Zone” transformada em música electrónica.

 

 

8/10
Topo