Ill Niño: prontos para a loucura? | Ultraje – Metal & Rock Online
Features

Ill Niño: prontos para a loucura?

ill1

Certo: foram os senhores Enrique Iglesias e Ricky Martin que popularizaram a música latina; isto para 99% da população. Aquele orgulhoso 1% que a comunidade metal representa diria que a popularidade da música latina no velho continente chegou pelas mãos dos norte-americanos Ill Niño. Seremos mesmo só 1%? Não faço ideia, inventei agora.

Voltando ao que interessa, sendo o nu-metal um dos géneros de música mais odiados ou não, a verdade é que contribuiu imenso para fazer com que o metal recuperasse a popularidade que perdeu com o aparecimento do grunge, e os Ill Niño, não sendo a banda que mais se destacou dentro do género, deixaram sem dúvida alguma uma marca, marca essa que será celebrada com a vinda da banda a Portugal, onde a mesma irá apresentar-se em duas datas distintas para assinalar os 15 anos do lançamento de “Revolution Revolución”, álbum que será tocado na íntegra.

Apesar do nome, “Revolution Revolución” não foi um álbum revolucionário, contudo apresentava as doses certas de fúria e revolta para ser bem recebido pelo público mais jovem, onde eu estava inserido.

O vocalista Cristian Machado tornou-se um modelo para essa geração, e o guitarrista Marc Rizzo, apesar de nessa altura ainda estar longe de ver o seu valor reconhecido (eventualmente juntar-se-ia aos Soulfly, chegando assim a um novo nível), já dava provas daquilo que tinha para oferecer como criativo nas seis cordas.

Arrisco no entanto dizer que o valor dos Ill Niño e a contribuição que deram à cena metal internacional não será posto em causa. Não nestas duas noites. Assim que os primeiros acordes de “God Save Us” inundarem o RCA Club em Lisboa e o Hard Club no Porto, tudo isso será esquecido e todos aqueles sentimentos que fomos enterrando ao longo dos anos nos confins do nosso ser virão à tona. A agressividade patente na música dos Ill Niño irá comandar a noite, mas não se preocupem: há imensos momentos melódicos e acústicos para recuperar a respiração; mas só por um bocadinho!

A banda liderada por Cristian Machado será acompanhada pelos húngaros Ektomorf, pelos australianos Xtortya, pelos norte-americanos Incite (banda do filho de Max Cavalera) e pelos nacionais The Royal Blasphemy. Os concertos terão lugar no RCA Club e no Hard Club, nos dias 19 e 20 de Abril, respectivamente. A lotação será limitada a 350 bilhetes, com um custo de 23€ (pré-venda) ou 25€ se for comprado no próprio dia.

Os bilhetes para a data na capital encontram-se disponíveis para venda na Carbono, Glam-O-Rama, Abep e RCA Club, enquanto que para o concerto na cidade invicta poderão deslocar-se à Bunker Store, Piranha e ao Hard Club.

Prontos para a loucura?

Topo