Reviews avulso: Krossfyre | Hexx | Purtenance | Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

Reviews avulso: Krossfyre | Hexx | Purtenance

krossfyre_-_mlp_coverKrossfyre “Burning Torches” [Nota: 7/10]
Editora: Hells Headbangers
Data de lançamento: 15 Setembro 2017
Género: black/thrash metal

É logo com a inicial “Fire Solution” que levamos com um chapadão de cinco dedos bem abertos. Mas afinal isto é punk, black ou thrash? É tudo! E assim se desenrola um EP de cinco faixas (mais uma intro) electrizantes e demoníacas. À voz infernal do black metal alia-se o esgalhanço do thrash metal e a rebeldia do punk em guitarradas bem executadas e por vezes detalhadas, havendo ainda espaço para uns solos mais brincalhões numa onda heavy metal (isto sem nunca se perder a intenção e o conceito excruciante). Não é fácil, mas de vez em quando o underground espanhol lá nos safa umas coisas fixes – Krossfyre é um dos bons exemplos.

 

-/-

Hexx-CoverHexx “Wrath of the Reaper” [Nota: 7.5/10]
Editora: High Roller Records
Data de lançamento: 15 Setembro 2017
Género: thrash metal

Surgidos na primeira metade dos anos 80 na Bay Area (EUA), os Hexx acabaram por não se incorporar no grupo dos poderosos do thrash metal daquela região, mas apesar de tudo são alvo dalgum culto. Com três discos (1984, 1986 e 1991), a banda entraria num longo hiato em 1995 que só seria terminado em 2013, e quatro anos depois disso reactivam-se definitivamente com “Wrath of the Reaper”. A arte de fazer bom thrash metal corre-lhes nas veias e alguns poderão questionar qual a razão para serem postos de lado. Talvez Dan Watson, John Shafer e companhia não queiram saber disso, e a prova é que sabem o que fazer para sacar malhas orelhudas trespassadas por solos à heavy metal e ainda arranjar um vocalista com uma voz bem cativante e singular na pessoa de Eddy Vega (na banda desde 2015). Bom regresso!

 

-/-

Purtenance_ParadoxPurtenance “Paradox of Existence” [Nota: 6.5/10]
Editora: Xtreem Music
Data de lançamento: 12 Setembro 2017
Género: death metal

Já foram conhecidos como Purtenance Avulsion entre 1989-1991 para depois encurtarem o nome para apenas Purtenance. Em 1992, com um álbum no bolso, desapareceram de cena para retornarem em 2012 e lançarem logo dois discos (2013 e 2015). O activo faz-lhes bem e 2017 traz-nos o EP “Paradox of Existence” com quatro faixas de death metal rijo e sedento de mortandade, por vezes sexual (“Nekro Orgy”). Não faltam os growls, os blast-beats, nem as guitarras marteladas que espicham alguns guinchos agudos aqui e ali. Aplaude-se a atitude veterana, mas não é nada do outro mundo.

Topo