Laments Of Silence “System Failure” [Nota: 7.5/10] | Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

Laments Of Silence “System Failure” [Nota: 7.5/10]

lamentsofsilenceEditora: Edição de Autor
Data de lançamento: Novembro 2016
Género: industrial melodic death metal

Do país vizinho chegam-nos estes Laments Of Silence. Sonoramente enquadram-se numa variante actualmente denominada como melodic death metal, apesar de, podem-me chamar de antiquado, mas de death só tem a voz gutural. Por outro lado as etiquetas actualmente não fazem sentido e, com o acesso que há à informação, a sua utilidade está quase totalmente ultrapassada. Como muitas outras bandas, nuestros hermanos não são em nada originais, rodando num estilo onde outras, como, por exemplo, os Words Of Farewell, se movem com grande facilidade. A banda, para além do estilo referido, segue uma fórmula simples de estruturação das músicas, o que tira o efeito surpresa dos temas. Dito isto, que é o que de mais negativo há a referir, demos total atenção à música em si, pois isso é que é o relevante. Comparativamente com o trabalho anterior, estes Laments Of Silence deram um salto de gigante. Para isso contribuiu em grande parte a entrada do novo guitarrista Isaac Matin. Com ele trouxe uma voz melódica e envolvente que dá verdadeira dimensão às passagens de voz limpa, coisa que a banda fizera algo timidamente no trabalho anterior. Em termos de produção, o trabalho está no ponto, o que permite que todos os instrumentos sejam aproveitados até à exaustão. A qualidade técnica dos elementos da banda é de alto nível, o que lhes permite executar de forma exímia os temas, contribuindo fortemente para a qualidade dos mesmos.

Apesar de não primarem pela originalidade, primam pela composição e por, apesar de usarem uma fórmula bem definida, se reinventarem em cada tema, conseguindo ter uma oferta bastante diversificada. O equilíbrio entre força, brutalidade, intensidade e melodia, gerado pela dicotomia entre os riffs potentes e as passagens melódicas, onde se destaca a voz de Isaac, e o excelente trabalho da bateria, tudo envolvido e colmatado pelos teclados ao estilo dos compatriotas Ktulu, fazem deste trabalho uma excelente proposta dentro do género, e que dá vontade de rodar uma e outra vez. Não é fácil destacar temas, pois a inclinação vai sempre para aquele que se está a ouvir no momento, mas “Lost In Time” está-se a tornar cada vez mais um favorito pessoal.

7.5/10
Topo