Les Discrets “Prédateurs” [Nota: 4/10] | Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

Les Discrets “Prédateurs” [Nota: 4/10]

Les_Discrets_-_Pr__dateursEditora: Prophecy Productions
Data de lançamento: 21 Abril 2017
Género: indie rock / ambient

Quando o líder de Les Discrets lançou o álbum ao vivo “Live At Roadburn” (com uma formação de luxo) em 2015, afirmou que essa seria a sua despedida do panorama rock/metal com estiradas shoegaze que tão bem marcou os álbuns “Septembre Et Ses Dernières Pensées” e “Ariettes Oubliées…”. Em Agosto de 2016, o artista francês lançou o EP “Virée Nocturne” com a intenção de antecipar este novo álbum e a nossa review não teve muitas coisas boas a dizer. Pelos vistos, as palavras menos simpáticas não foram fogo-de-vista, porque a totalidade de “Prédateurs” está longe de ser o espelho do passado – mas isso já se sabia, não é?, afinal o músico já vinha afirmando que mudanças iam ser efectuadas.

Acabaram-se as guitarras distorcidas e ecoadas que formavam densas paisagens sonoras, mas não quer isso dizer que Les Discrets deixou de ser um projecto atmosférico – ainda o é, mas com outra roupagem. Calmo e sem riffs cheios – apenas notas soltas, mas interligadas –, “Prédateurs” combina uma sensação de noite chuvosa e solidão na estrada (“Lyon – Paris 7h34”) com um indie rock simples (“La Reproche) e algumas incursões trip hop (“Virée Nocturne”). Por seu turno, quando a bateria não é aparentemente orgânica, lá surgem uns arranjos electrónicos na onda de uns Wisdom Of Crowds, de Bruce Soord (Pineapple Thief) e Jonas Renkse (Katatonia), mas nem esta comparação abona muito a favor de Teyssier.

Enfim, este novo caminho musical é insosso e secante… O EP já o fazia prever. Ao não haver grande arrojo faz com que não se procedam a grandes riscos, mas o mais problemático é mesmo a falta de clímax – simplesmente não há. É pena e é custoso ter que se ser pouco simpático com alguém que admiramos artisticamente, mas é a vida… A escolha de Fursy Teyssier foi tomada e a nossa crítica também. Há que lidar e seguir em frente – ele e nós.

4/10
Topo