Myth Of A Life “She Who Invites” [Nota: 6/10] | Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

Myth Of A Life “She Who Invites” [Nota: 6/10]

12654223_1030886616969673_4090344035607348059_nEditora: Sleaszy Rider Records
Data de lançamento: 10 Junho 2016
Género: death metal melódico

Oriundos de Sheffield, Inglaterra, os Myth Of A Life são agora uma banda orgânica, mas nem sempre o foram, pois este era o projecto individual do guitarrista Takanori Shono. Embora sediados no Reino Unido, a formação principal da banda é composta pelo japonês Shono, o baterista italiano Damiano Porcelli e o vocalista grego Phil Dellas. Em 2014 foi lançado o EP “Erinyes” que continha demos antigas criadas por Shono quando ainda estava na banda japonesa Impenetrability. Em Junho passado lançaram o álbum “She Who Invites” que, para além de oito novas composições, inclui ainda as quatro faixas do EP. Esta opção incorre provavelmente no facto da banda querer dar mais montra a essas músicas antigas, mas sendo que já foram lançadas, o crítico e o ouvinte podem achar que se trata de fillers que nada acrescentam à actualidade da banda – ainda que o presente de 2016 não seja musicalmente muito diferente do de 2014.

Os Myth Of A Life são uma banda de death metal melódico directo que se rodeia das mesmas ferramentas do princípio ao fim dos 47 minutos que compõem “She Who Invites”. Shono é, sem dúvida, um excelente executante e os temas revolvem inevitavelmente à sua volta através da guitarra lead que não descansa, mas também à volta dos vários solos. “She Who Invites” é expedito e oferece riffs talhados de claridade e pulso forte, mas o problema assenta-se no facto do colectivo não oferecer nada de novo à medida que as faixas passam. A ideia de composição anda sempre à volta da estrutura simples, os riffs são interessantes mas acabam por enfadar devido à falta de diversidade técnica e a voz de Phil Dellas anda ali pelo meio deste death metal melódico com os seus guturais e esporádicas variações para algo mais gritado do que grunhido.

Finalmente, a produção podia ser mais contrabalançada, o que apagaria alguns ruídos que se intrometem naquilo que deveria ser uma sonoridade límpida, tal é o detalhe esquartejador da guitarra de Shono. “She Who Invites” mostra rapidamente ao que os Myth Of A Life vêm e depressa se percebe tudo o que passa no álbum logo nas primeiras faixas.

6/10
Topo