Nadimac “Besnilo” [Nota: 7/10] | Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

Nadimac “Besnilo” [Nota: 7/10]

Nadimac_-_BesniloEditora: Xtreem Music
Data de lançamento: 03 Julho 2017
Género: crossover

Apoiantes da ética DIY e do espírito underground, os sérvios Nadimac, formados em 2003, já têm mais de 20 lançamentos e aumentam a contagem, agora em 2017, com o (quarto) longa-duração “Besnilo”. Com a ideia de mudar a sociedade, o quarteto utiliza a música para isso; e qual o melhor género para tal? Punk-rock? Punk-hardcore? Thrash metal? Os três, que dá aquilo a que chamamos crossover. Mas atenção que nem tudo é para ser levado ao extremo, até porque no meio de seriedade também é preciso sarcasmo e muito humor: se por um lado apresentam títulos como “Kapitalizam je Kanibalizam” (“Capitalismo é Canibalismo”) ou “Anatomija Poslušnosti” (“Anatomia da Obediência”) – esta que inclui ovelhas a balir –, por outro são mais desbocados em faixas como “Analni Ovcar” (“Pastor Anal”) ou “Teraj se u Kurac” (algo como “Vai-te Foder”).

Com faixas que duram mais do que o normal no punk-hardcore e menos do que no thrash metal (será isto relevante?), os Nadimac estão cheios de velocidade e pujança, duas qualidades bem produzidas que os podem pôr, quanto a esse departamento, ao nível de grandes bandas do centro da Europa e dos EUA. Se nem tudo for brilhante, podemos ter a certeza que é intencionado e bem executado – esta malta também não anda aqui para agradar às massas, como os próprios escrevem: «Empenhamo-nos em mudar a nossa sociedade e não se ser apenas comercial ou cantar sobre tralha.»

Em 14 faixas, Dača dá voz ao espírito punk que é transformado em thrash metal nas guitarras de Ćora, acabando por existir um meio-termo de influências na bateria de Draganče. E o baixo é, muitas vezes, aquele instrumento posto de lado… Mas Zec está lá, como por exemplo em “Analni Ovcar”. Enfim, o movimento começou do outro lado do Atlântico e tem-se vindo a implementar muito bem em Portugal, França e Alemanha, mas parece que as fronteiras se estão a abrir muito mais e os Balcãs podem vir a fazer parte disto – é dar-lhes tempo e espaço.

 

7/10
Topo