Necronomicon “Pathfinder… Between Heaven And Hell” [Nota: 7/10] | Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

Necronomicon “Pathfinder… Between Heaven And Hell” [Nota: 7/10]

539134Editora: Trollzorn Records
Data de lançamento: 27 Novembro 2015
Género: heavy/thrash metal

A fase inicial da carreira dos Necronomicon foi preenchida por três álbuns na última metade dos anos 80, mas o mesmo não se pode dizer da década seguinte que contém apenas um álbum em 1994, intitulado “Screams”. O ano de 2004 virou a página da banda e o novo “Pathfinder… Between Heaven And Hell” é já o quarto trabalho deste período mais recente, totalizando um total de oito álbuns em cerca de 30 anos.

Os Necronomicon apresentam um som moderno, ainda que com algumas fórmulas típicas, que esconde os 30 anos de existência – tocam como jovens. As tais fórmulas típicas passam por riffs rápidos materializados por um pulso tenso que ataca as cordas com grande vigor. Por outro lado, há bonitos momentos melodiosos protagonizados por uma guitarra lead com algo de hardrock. E a faixa “Reborn” até nos faz pensar no lendário álbum “Painkiller” dos Judas Priest – se não fossem bandas contemporâneas entre si até diria que podia ser uma espécie de tributo.

O tema-título que abre o álbum é altamente catchy com estrofes energéticas e um refrão mid-tempo bem melódico que enfatiza o lado heavy metal da banda. Claro que uns drumming rolls galopantes acompanhados por um baixo compacto não podiam faltar e o início de “We Are The League” é um bom exemplo disso.

Ao longo do disco vai-se percebendo que há um fulgor épico que quer explodir, mas que não é exprimido em toda a sua amplitude. Contudo, essa tímida intenção surge em “Alone In The Dark” e “Monster”, sendo que nesta última é através de composições lead perfumadas por um andamento mais oriental.

Finalmente, o ponto mais negativo do disco prende-se na, por vezes, exagerada utilização dos refrões mesmo que estes sejam o centro da música no geral. Por outro lado, a energia é patente do princípio ao fim, mas a catchiness tende a desaparecer um pouco.

[review]

Topo