Peter Steele (1962-2010): recordar um gigante | Ultraje – Metal & Rock Online
Features

Peter Steele (1962-2010): recordar um gigante

b58c8283-8900-4e86-b569-c8508ecb350a

«Two steps forward, three steps back
Without warning, heart attack»

Donos de um estatuto ímpar, os Type O Negative veriam a sua carreira terminar neste dia 14 de Abril de 2010 quando o frontman Peter Steele faleceu, aos 48 anos, devido a um aneurisma da aorta. Nascido a 4 de Janeiro de 1962, o músico norte-americano teria que passar pelos Fallout e Carnivore até atingir o estrelato com a sua banda maior, os tais Type O Negative que, incrivelmente, mantiveram a sua formação praticamente intacta do princípio ao fim.

Formados em 1990, na cidade de Nova Iorque, seria o terceiro álbum “Bloody Kisses” (1993) a catapultá-los para o trono do doom/gothic metal. Quase 25 anos depois, este continua a ser o disco mais importante da banda e também de um género, com faixas como “Christian Woman” e “Black No. 1”. Ainda assim vale a pena referir “Life Is Killing Me”, de 2003, um trabalho também muito querido pelos fãs.

Possuidor de um ar vampírico e estatura alta, é a voz grave e o sentido de humor negro que melhor representam Peter Steele e a sua banda. A vida falhou-lhe em 2010, mas já antes, em 2005, o mundo seria enganado por uma morte falsa quando publicaram no seu website uma lápide em memória do vocalista/baixista. Por essa altura, a banda tinha cancelado a digressão pelos EUA devido a problemas de saúde de Steele, mas com a respectiva recuperação o grupo lançaria, em 2007, o derradeiro opus “Dead Again”.

Cinco anos depois da brincadeira, a verdade tornar-se-ia dura e crua quando, mais uma vez, a Internet foi invadida por notícias que relatavam a morte do carismático artista. Com dificuldade em aceitar e acreditar no sucedido, foram necessários vários dias de turbilhão internauta até que os restantes companheiros surgiram para confirmar o óbito de um dos mais icónicos personagens do panorama metal. Até hoje ainda ninguém desmentiu… É capaz de ser verdade, então.

 

 

Topo