#ChooseUltraje

Features

[Reportagem] Marduk + Valkyrja + Attic + Survival Is Suicide (04.05.2019 – Porto)

Diogo Ferreira

Publicado há

-

Marduk + Valkyrja + Attic + Survival Is Suicide
04.05.2019 – Porto

-/-

Já assistimos a caixas de ritmo e bateria programada mas backing-tracks de guitarra é uma raridade – foi isso mesmo que os catalães Survival Is Suicide trouxeram ao Hard Club para inaugurar uma noite coroada pelos suecos Marduk. Inicialmente até parecia que o baixo extremamente distorcido do também vocalista Zaratozom estava a ser emitido em dois canais para, assim, ouvirem-se dois sons distintos com as mesmas notas, mas as dúvidas foram dissipadas quando dois temas foram iniciados precisamente por guitarras em backing-track. Humildes, os dois músicos de Barcelona retribuíram os aplausos com um death metal simples, embora eficaz a tempos, que não pretende revolucionar – o álbum de 2018 até se intitula “Retrovolution” – mas empregar honestidade. Nota positiva para os drumming-rolls de Epojè.

 

Da Alemanha, os Attic até podem parecer a ovelha tresmalhada que se colou a este conjunto de bandas sem saber bem como, só que não… É heavy metal que tocam, um muito enegrecido em que se consegue aplicar um ou outro tremolo-picking à black metal mas com distorção à heavy metal – por isto, é uma banda que vale muito em termos de criatividade, embora este elogio seja um pau de dois bicos: quem conhece, saberá que os Attic são, sem tirar nem pôr, uma versão dos nossos dias de King Diamond, pois as execuções vocais de Meister Cagliostro são iguais às do dinamarquês. Teatrais e inspirados, os Attic deram um concerto competente, cheio de boas malhas e de diversas twin-guitars, que só ficou manchado por problemas técnicos oriundos do microfone. Com mais impacto ao vivo do que em estúdio, debruçaram-se nos dois álbuns em carteira e terminaram a actuação com a notável “The Headless Horseman”.

 

Mais próximos de Marduk, tanto geográfica como musicalmente, chegava a vez do quarteto Valkyrja subir ao palco da sala pequena do Hard Club. Com quatro discos na bagagem, a banda sueca passou por todos eles com maior ênfase no recente “Throne Ablaze” (2018), que tem sido aclamado pela imprensa especializada. Por esta altura já é possível designar Watain como uma banda que influencia outras, por isso não é com surpresa que ouvimos temas de Valkyrja, como “Crowned Serpent”, que podiam ser tocados pelos compatriotas – até os tambores ecoados, como em Watain, foram utilizados ao longo do concerto. Porém, este quarteto não tem a sua identidade achincalhada e a atitude em palco mostrou o quão focados estão em providenciar o melhor que podem e sabem, com humildade q.b. que, por vezes, pode ser mascarada pela roupagem de bad-boys que têm de vestir quando embandeiram o nome Valkyrja. Nota negativa para a confusão sónica durante as secções mais velozes/agressivas que é balanceada positivamente pela faceta épica e melódica que terminava alguns dos temas, como a final “Throne Ablaze”.

 

Cada vez mais ansioso, o público que encheu a sala portuense percebeu que lá vinham os bélico-satânicos Marduk quando as luzes baixaram e o ambiente sonoro transformou o Hard Club num compartimento de comunicações de guerra enquanto aviões rasavam e sirenes guinchavam. Bem recebidos, Morgan & Cia. tinham a difícil tarefa de criar uma setlist diversa que percorresse a maioria dos muitos álbuns (14) da discografia. Abriram logo com escolhas assentes em “Panzer Marduk Division” (1999), que muitos recordam por incluir Legion na voz, e saltaram seguidamente, sem dó nem piedade, para o presente com “Werwolf” do mais recente “Viktoria” (2018), que voltaria a ser revisitado mais à frente com a interpretação de “Equestrian Bloodlust”. Pelo meio de três mancheias de black metal, os nórdicos carregaram fortemente com temas como a marchante “The Blonde Beast” ou a furiosa (não são todas?) “Throne Of Rats”. Sem muito tempo para conversas, pois ímpeto é coisa que não se pode perder em batalha, os Marduk foram uma autêntica metralhadora MG42 que embalou o público rumo a uma noite vitoriosa em que nunca se esqueceu que a morte é cega, mas que, enquanto cá estamos, temos de ser “Wolves”. Em encore, “The Black…” encerrou definitivamente o tribunal marcial presidido pelos berros efervescentes de Mortuus.

Features

Nuno Bettencourt, Tom Morello e Scott Ian tocam tema de Game Of Thrones

Diogo Ferreira

Publicado há

-

Consagrada como uma das séries mais populares de sempre, Game Of Thrones, que terminou na última madrugada, teve a capacidade de exultar nos seus fiéis seguidores todas as emoções desde o seu início com o genérico criado por Ramin Djawadi.

No clip abaixo, Djawadi é acompanhado por Dan Weiss (criador da série), Tom Morello (Rage Against The Machine), Scott Ian (Anthrax), Nuno Bettencourt (Extreme) e Brad Paisley numa jam session com as novas guitarras Fender em que tocam precisamente o tema principal de Game Of Thrones com muito free-style solista pelo meio.

Continuar a ler

Features

Sabaton History Channel, ep. 15: o Barão Vermelho

Diogo Ferreira

Publicado há

-

No novo episódio do Sabaton History Channel, Joakim Brodén e Indy Neidell escolhem falar do tema “The Red Baron” que pertence ao próximo álbum “The Great War”, a ser lançado a 19 de Julho pela Nuclear Blast.

O Barão Vermelho é um do ícones heróicos da I Guerra Mundial que, simultaneamente, engloba a mecanização e a romantização da guerra moderna com as suas habilidades e heroísmo. Manfred von Richthofen é o nome verdadeiro do piloto que é, então, recordado em mais um episódio do Sabaton History Channel.

Mais episódios AQUI.

Continuar a ler

Features

Jinjer ao vivo no Resurrection 2018 (c/ vídeo)

Diogo Ferreira

Publicado há

-

Foto: Veronika Gusieva

Abaixo podes assistir à prestação dos Jinjer no Resurrection de 2018. Recentemente disponibilizado pelo próprio festival, este vídeo servirá para aguçar a vontade que os fãs desta banda têm para os ver no Vagos Metal Fest deste ano. Nos quase 40 minutos de concerto, os Jinjer executaram temas como “Words Of Wisdom”, “I Speak Astronomy”, “Pisces” ou “Captain Clock”.

O EP “Micro”, lançado em Janeiro de 2019 pela Napalm Records, é o registo mais recente dos ucranianos que, como referido, actuarão no Vagos Metal Fest, evento que se realiza entre 8 e 11 de Agosto. Stratovarius, Six Feet Under, Satyricon, Candlemass, Death Angel, Watain e Alestorm são alguns dos nomes do cartaz.

Continuar a ler

Facebook

#UltrajeRadar

Ultraje #21