#ChooseUltraje

Features

Rotting Christ: as obras mais sonantes

Diogo Ferreira

Publicado há

-

314_photo

-/-

1196Thy Mighty Contract
Osmose Productions, 1993
Na ressaca das primeiras demos orientadas ao death metal/grindcore e ajudados pela vaga black metal vinda da Noruega, os Rotting Christ lançaram, em 1993, o primeiro álbum “Thy Mighty Contract”. Apoiados por um background ainda muito cru, a banda começou desde logo a implementar riffs melódicos muito ao estilo dos contemporâneos Moonspell e, por outro lado, as teclas também emergiram, ainda que de forma algo bacoca e esporádica entre os temas. Podiam não saber, mas um futuro brilhante estava mesmo ao virar da esquina.

 

1200A Dead Poem
Century Media Records, 1997
O quarto álbum “A Dead Poem” é a primeira grande viragem no som dos gregos. A melodia explode finalmente no seio da banda e as orquestrações são muito mais regulares, dando aos Rotting Christ uma sonoridade gótica com algumas abordagens rock provenientes das guitarras – o chamado dark metal que figurou naquela altura. Por seu turno, a produção evoluiu a olhos vistos e a voz de Sakis Tolis continuou vigorosa e agressiva como é inequivocamente a sua imagem de marca. Novos fãs foram angariados e a implementação na cena metal europeia estava cada vez mais forte.

 

137587Theogonia
Season Of Mist, 2007
O final dos anos 90 e o início dos anos 00 foram repletos de discos – quatro trabalhos que seguiram, mais ou menos, a direcção de “A Dead Poem”, até que 2007 se tornou num ano mágico para a banda de Atenas, que lançou o fantástico “Theogonia”. A direcção musical não foi completamente modificada, mas “Theogonia” reergueu a velocidade e o modo feroz mais evidente nos primeiros anos. A grande estratégia passou por misturar a sonoridade inicial com os lances ultramelódicos mais próximos de 2007 e, assim, criaram um álbum precioso na já longa discografia. Mencionar ainda que, nesse ano, o grupo mostrou estar muito mais evoluído em relação à forma como executa os diversos instrumentos.

 

258628Aealo
Season Of Mist, 2010
Com “Aealo” renderam-se à guerra, e se a intenção de evocar a cultura helénica já tinha sido experimentada em “Theogonia”, ficou claro com “Aealo” que o rumo daí para a frente seria mesmo esse. O sentido catastrófico e trágico ficou ainda mais vincado com a companhia das Pleiades (coro tradicional da região de Epirus) que torna todo este disco uma obra musicalmente mediterrânica. Com “Aealo” surgiram também os convidados de peso, como A.A. Nemtheanga (Primordial), e encerra com a estrondosa cover a “Orders From The Dead”, um original de Diamanda Galás.

 

549531Rituals
Season Of Mist, 2016
Estar no activo há 30 anos ao mais alto nível é o cartão-de-visita dos gregos. “Rituals” oferece dez hinos multiculturais a Satã, em que os refrões catchy voltam a ser apanágio da banda e ainda encontramos momentâneos lances melódicos a fazer lembrar as guitarradas lead presentes em “Theogonia”. De incursões a recordar Diamanda Galás em “Ἐλθὲ κύριε (Elthe Kyrie)” à poesia de Charles Baudelaire em “Les Litanies de Satan (Les Fleurs du Mal)” com Vorph (Samael) a ser um Jacques Brel do black metal,  “Rituals” é mais um belo ícone numa discografia repleta de obras.

Discografia completa AQUI.
 

(Edit 2019: O novo álbum dos Rotting Christ intitula-se “The Heretics” e é lançado pela Season Of Mist. Pode ser ouvido AQUI. A entrevista integral concedida por Sakis Tolis à Ultraje é o destaque principal da edição #20que pode ser lida digitalmente em PDF ou no ISSUU.)

Features

Nuno Bettencourt, Tom Morello e Scott Ian tocam tema de Game Of Thrones

Diogo Ferreira

Publicado há

-

Consagrada como uma das séries mais populares de sempre, Game Of Thrones, que terminou na última madrugada, teve a capacidade de exultar nos seus fiéis seguidores todas as emoções desde o seu início com o genérico criado por Ramin Djawadi.

No clip abaixo, Djawadi é acompanhado por Dan Weiss (criador da série), Tom Morello (Rage Against The Machine), Scott Ian (Anthrax), Nuno Bettencourt (Extreme) e Brad Paisley numa jam session com as novas guitarras Fender em que tocam precisamente o tema principal de Game Of Thrones com muito free-style solista pelo meio.

Continuar a ler

Features

Sabaton History Channel, ep. 15: o Barão Vermelho

Diogo Ferreira

Publicado há

-

No novo episódio do Sabaton History Channel, Joakim Brodén e Indy Neidell escolhem falar do tema “The Red Baron” que pertence ao próximo álbum “The Great War”, a ser lançado a 19 de Julho pela Nuclear Blast.

O Barão Vermelho é um do ícones heróicos da I Guerra Mundial que, simultaneamente, engloba a mecanização e a romantização da guerra moderna com as suas habilidades e heroísmo. Manfred von Richthofen é o nome verdadeiro do piloto que é, então, recordado em mais um episódio do Sabaton History Channel.

Mais episódios AQUI.

Continuar a ler

Features

Jinjer ao vivo no Resurrection 2018 (c/ vídeo)

Diogo Ferreira

Publicado há

-

Foto: Veronika Gusieva

Abaixo podes assistir à prestação dos Jinjer no Resurrection de 2018. Recentemente disponibilizado pelo próprio festival, este vídeo servirá para aguçar a vontade que os fãs desta banda têm para os ver no Vagos Metal Fest deste ano. Nos quase 40 minutos de concerto, os Jinjer executaram temas como “Words Of Wisdom”, “I Speak Astronomy”, “Pisces” ou “Captain Clock”.

O EP “Micro”, lançado em Janeiro de 2019 pela Napalm Records, é o registo mais recente dos ucranianos que, como referido, actuarão no Vagos Metal Fest, evento que se realiza entre 8 e 11 de Agosto. Stratovarius, Six Feet Under, Satyricon, Candlemass, Death Angel, Watain e Alestorm são alguns dos nomes do cartaz.

Continuar a ler

Facebook

#UltrajeRadar

Ultraje #21