Sodom: Expurse of the Orange Mania (o regresso de Frank Blackfire) – Ultraje – Metal & Rock Online
Features

Sodom: Expurse of the Orange Mania (o regresso de Frank Blackfire)

FB_IMG_1517922714858

Com Frank Blackfire de regresso aos Sodom – 29 anos depois do seu súbito abandono e antes da digressão europeia a “Agent Orange” –, o relógio já está em contagem decrescente para a bomba que se espera venha aí: novo single em 2018 e álbum – do agora quarteto – que será lançado na primavera de 2019 pela SPV/Steamhammer, segundo comunicado oficial da própria banda no seu Facebook.

Após a saída de Blackfire, os Sodom continuaram a espalhar o seu thrash teutónico até aos dias de hoje mas com inúmeras mudanças de formação. No início deste ano, e quando ninguém o esperava, o fundador Tom Angelripper demite a restante banda (Makka na bateria e Bernemann na guitarra) e transforma-a em quarteto com a reentrada de Frank Blackfire para a guitarra, Husky (Desaster, Asphyx) para a bateria e, surpreendentemente, Yorck Segatz (Beyondition) para uma segunda guitarra.

É uma atitude de coragem e um volte-face pouco usual. A verdade é que esta notícia galvanizou a comunidade metálica, principalmente os seguidores dos idos de 80 e de Blackfire (1987-1989), e esse frenesim é plenamente justificado pois constitui a época dourada de Sodom. Se não, vejamos:
1987: “Expurse Of Sodomy” EP
1987: “Persecution Mania” LP
1988: “Mortal Way Of Live” Live LP + VHS
1989: “Agent Orange” LP

O denominador comum aqui é Frank Blackfire, um criativo guitarrista que colocou os germânicos no mapa mundi do thrash mundial. A sua imaginação, técnica e abordagem fresca ao thrash fizeram dos Sodom o que eles são hoje. Inclusivamente, o álbum “Agent Orange” ficou em 36.º lugar no top de vendas alemão, um feito único até hoje.

Resumidamente, todos fazemos contas àquele que já é um dos álbuns mais antecipados de 2019. Quem irá produzir? Harris Johns? Será na onda de “Persecution Mania” e “Agent Orange”? Como fã dessa era tão especial, espero que Sodom não invente e crie um digno sucessor de “Agent Orange”. Para “modernices” já existem muitas bandas novas; como tal, a sua missão é criar mais um clássico old-school e até repetindo a fórmula vencedora que não nos importaremos. Aliás, rezo para que tenham isto em mente.

Topo