The Lurking Fear “Out Of The Voiceless Grave” [Nota: 8/10] | Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

The Lurking Fear “Out Of The Voiceless Grave” [Nota: 8/10]

2561bd47-ebf8-44cd-a7f1-c2d3a6e6d22bEditora: Century Media Records
Data de lançamento: 11 Agosto 2017
Género: death metal

Na senda dos chamados supergrupos, embora esta banda não queira ser assim rotulada pois não se sente um, chegam-nos agora da Suécia os The Lurking Fear. Nas suas fileiras encontramos nomes tão ilustres como Tomas Lindberg, vocalista de At The Gates, ou Adrian Erlandsson, baterista de At The Gates e The Haunted.

Com uma sonoridade inegavelmente sueca, os The Lurking Fear, no entanto, afastam-se da sonoridade dos grupos de onde derivam os seus elementos e assumem-se como uma banda em pleno e não como um projecto de elementos de diversas bandas. Assim, a base musical deste quinteto caracteriza-se por um death metal fiel às origens do estilo, mas não se podendo dizer que são uma banda de revivalismo de death old-school, já que os elementos das suas fileiras fazem parte do movimento original do death metal e sempre se enquadraram no mesmo.

“Out Of The Voiceless Grave” é, assim, uma proposta de death metal que equilibra a crueza dos primórdios com o potencial que as produções actuais conseguem dar ao género, o que está bem patente na limpeza da definição do seu som sujo. Agressivo, por vezes agreste, com passagens de autêntica ’selvajaria’, principalmente devido à característica aproximação vocal de Tomas Lindberg, o som dos The Lurking Fear acusa bem as influências de uns Death dos primórdios, de uns Possessed ou de uns Autopsy, apresentando, por vezes, uma sonoridade ligeiramente similar a bandas também marcadas por estas influências, como os Morgoth na sua fase inicial.

Durante a audição dos onze temas é imediata a noção de que esta banda não tem pretensões de nada, não se assumem como originais nem como revivalistas, apenas tocam aquilo que gostam no estilo em que os seus elementos se sentem mais em casa. Os temas são directos, intensos, brutais, com potentes riffs onde o tremolo reina supremo, equilibrando na perfeição as passagens entre os esmagadores ritmos rápidos e os tradicionais midtempo, na verdadeira linha original do death metal.

Aliando, assim, todas as raízes do death metal original, os The Lurking Fear criaram um álbum digno da herança dos grandes do passado, e que se assume como a personificação da verdadeira essência do death metal. Não se podendo considerar uma obra-prima, não deixa de ser um excelente exercício de death metal, sem pretensões de ser outra coisa que não isso mesmo e que merece a melhor atenção dos amantes do género, sendo o cartão de apresentação de uma banda que se mostra como uma séria proposta dentro do género.

 

 

8/10
Topo