Twilight “Trident Death Rattle” [Nota: 8/10] – Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

Twilight “Trident Death Rattle” [Nota: 8/10]

515348Editora: Ascension Monuments Media
Data de lançamento: 01 Maio 2018
Género: US black metal

Foi há quatro anos que os Twilight lançaram “III: Beneath Trident’s Tomb”, aquele que devia ser o derradeiro álbum deste supergrupo composto por músicos relevantes na cena metal norte-americana. Caso não os conheças, ou pretendas que a tua memória seja refrescada, os Twilight eram compostos por Neill Jameson (Krieg), Thurston Moore (Sonic Youth), Blake Judd (Nachtmystium), Wrest (Leviathan), Sanford Parker (Buried at Sea, Corrections House) e Stavros Giannopoulos (The Atlas Moth). Desse terceiro álbum ficaram três faixas por lançar e eis que surgem neste EP surpresa. A demora pode advir de várias situações – incluindo até a intenção de nunca revelar estas composições –, mas também se pode acreditar que o adiamento se deva à vida atribulada que Blake Judd tem tido nos últimos anos à custa dos seus problemas com drogas e má conduta perante fãs que perderam dinheiro com merch que nem sequer existia. Enfim, é o próprio Judd quem lança o mote para este bom momento ao lado dos seus co-conspiradores em Twilight: «Remendámos as nossas diferenças e hoje temos uma boa relação», refere-se na press-release.

Mais experimentais do que noutros álbuns, as três faixas deste “Trident Death Rattle” foram compostas por Judd e Moore mas não deixam de conter em si a visão lunática e o desejo demente dos colegas em relação àquilo que pode ser o black metal. Ao longo de perto de 20 minutos de duração, aquilo que outrora estava perdido ganha vida através de exercícios musicais negros e espessos que digladiam o fundo encorpado (pelas guitarras-ritmo) e por vezes dissonante/inquietante (pelos arranjos noise) com a parte da frente um pouco mais melódica e até cintilante à custa dos leads de guitarra, com especial destaque para a última e melancólica “No Consequence”. Se esta é a interpretação dos Twilight sobre aquilo que o black metal pode ser, então podemos mesmo classificar esta banda e este EP como US black metal – um rótulo já em voga e que tem sido levado a altos picos pela mão de bandas como Krieg e Leviathan. “Trident Death Rattle” é uma poluição sonora com cabeça, tronco e membros que tem a capacidade de evocar um trance singular que nos faz rodopiar o corpo por dentro e por fora, e mesmo que de tradicional já tenhamos pouco na cena metal os Twilight provam que continua a ser possível quebrar convenções e classificações ao fim de todos estes anos de evolução. Este é, assim, um lançamento de raridades que figurará brilhantemente nas nossas estantes.

8/10
Topo