Ulvegr “Titahion: Kaos Manifest” [Nota: 8/10] | Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

Ulvegr “Titahion: Kaos Manifest” [Nota: 8/10]

new nozh digipack.Editora: Ashen Dominion
Data de lançamento: 17 Abril 2017
Género: black metal

Quando se fala em black metal ucraniano fala-se em Roman Sayenko e todos os seus projectos, com maior destaque para Drudkh, mas há mais dois nomes que se tornaram incontornáveis: o guitarrista/vocalista Helg (Khors, Ygg, Kzohh) e o baterista Odalv (Ygg, Elderblood, Kzohh). É esta dupla que dá vida a Ulvegr, um cruzamento de coisas como Hate Forest, Blood Of Kingu e, claro, as próprias bandas dos dois membros.

Sempre com o black metal feroz e atmosférico como base, os Ulvegr tendem a fazer coisas diferentes a cada álbum: se o terceiro “The Call Of Glacial Emptiness” ofereceu um black metal gelado, este novo “Titahion: Kaos Manifest” é mais terreno, quente e exótico até.

A segunda faixa, “Throne Among the Void”, que sucede a intro, até começa com um riff bem death metal, mas não há que enganar: isto vai ter ao black metal ucraniano, porque, sim, a Ucrânia já representa uma cena – ouvindo este ou aquele ritmo, este ou aquele riff, esta ou aquela abordagem sabe-se que é ucraniano. Depois há o tal cruzamento de bandas, com momentos emocionais (“When Stars Will Turn to Ashes”) e solos épicos (“Black Light of a Dying Sun”) a fazer lembrar Khors sem os teclados, fúrias velozes e florestais com semelhanças a Hate Forest, grandes estrondos de bombo com inspiração em Blood Of Kingu ou berros estridentes na onda de Ygg. No fundo, Ulvegr tem, claro está, a assinatura mais do que impregnada de Helg. Para além dos muitos bons riffs esgalhados que ficam no ouvido e da técnica de bateria inerente a Odalv, o disco é também muito ritualista com interlúdios de quase cinco minutos que até podem complementar o conceito, mas que quebram a correria e tensão que por aqui se faz sentir.

Em suma, “Titahion: Kaos Manifest” é claramente um álbum de excelência com o cunho de dois nomes bem estabelecidos que levam ao resto do mundo a nação ucraniana no que ao black metal diz respeito. Os fãs de Khors e Drudkh não sairão desapontados, já os que não estão familiarizados têm aqui uma boa razão para começar a conhecer.

8/10
Topo