Vassafor “Malediction” [Nota: 8/10] | Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

Vassafor “Malediction” [Nota: 8/10]

Malediction_LP_Cover_Artwork_-_haulixEditora: Debemur Morti / Iron Bonehead
Data de lançamento: 13 Outubro 2017
Género: death/black metal

Se há bandas de culto lá para os lados do Hemisfério Sul, então temos que apontar Vassafor como uma delas. Ao fim de pouco mais de 20 anos (ainda que com um hiato pelo meio), a dupla prepara-se para lançar o segundo álbum, de nome “Malediction”, que sucede ao muito bem-recebido “Obsidian Codex” (2012) e a uma boa colecção de demos, EPs, splits e compilações.

Há qualquer coisa ali para os lados da Austrália e Nova Zelândia que faz com que o underground se vire para união entre death e black metal de modo a soar lamacento, opaco, moribundo e imbuído em feitiçaria negra – e é desta forma que os Vassafor expelem a sua sonoridade há muito mais tempo do que os seus pares contemporâneos. Tudo em “Malediction” é low-tuned – especialmente a voz grunhida e imperceptível que causa sensações monásticas –, mas é, ao mesmo tempo, detalhado e audível na medida em que se percebe bem onde as malhas de guitarra querem e devem ir. A melodia destas é sempre obscura como o casamento entre death e black metal assim obriga, mas não se limita a power-chords sujos e infantis – isto é material de subsolo com classe, tendo por exemplo a faixa-inaugural, “Devourer of a Thousand Worlds”, como prova cabal.

Ao longo de 49 minutos bem passados – que podem muito bem transformar-se em mais do que isso se quisermos repetir a dose –, vamos caminhar pelos infernos sulistas que podem ser alcançados através de primitivismos e transcendências de tendências bárbaras e formas nada apologéticas que ajudam a construir um templo de poder profano.

8/10
Topo