Wayfarer “Old Souls” [Nota: 6.5/10] – Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

Wayfarer “Old Souls” [Nota: 6.5/10]

27c6408299af9d3800dd866e_880x880Editora: Prosthetic Records
Data de lançamento: 17 Junho 2016
Género: post-metal

Formados em 2011, os norte-americanos Wayfarer têm sido vistos como uma das maiores promessas do post-metal de veia mais extrema e “Old Souls” é o segundo álbum da banda do Colorado que tenta provar o seu estatuto.

O sucessor de “Children Of The Iron Age” compreende sete faixas apocalípticas, mas longe de serem a verdadeira parede de som atmosférica que se criou ao longo dos últimos dez anos à custa do tal movimento black metal proveniente da Cascádia – portanto, o rótulo de black metal atmosférico fica já de parte, até porque de black metal este álbum tem pouco a não ser a voz profunda e gutural. Outro aspecto que os deixa longe do referido género passa pela distorção das guitarras que é muito ampla e meia roqueira, facilitando a percepção de todos os acordes e sequências que, diga-se, fornecem alguns bons momentos. Por fim, a velocidade bélica do black metal também não é aqui implementada no seu todo, exceptuando uma passagem breve em “Deathless Tundra”. Também se fala em folk nos Wayfarer e, de facto, há alguns momentos acústicos completados por uma percussão tribal e inclusão de guitarras eléctricas pelo meio, mas que não chega para classificar a sonoridade como folk. Podemos ainda apontar alguns lances doom através de secções – geralmente entradas – arrastadas e um pouquinho dissonantes que mais tarde vão ao encontro da tal voz furiosa.

Alguns bons riffs já foram mencionados nesta crítica, mas, nesta nota de encerramento, vale a pena referir as diferentes estruturas que se constroem dentro das próprias faixas, normalmente nas mais longas. Dizer que isso torna este “Old Souls” nalgo progressivo é puxar a corda em demasia, mas que há estruturas diversas lá isso há, o que faz com que esta audição até tenha algumas curiosidades para desvendar.

6.5/10
Topo