#ChooseUltraje

Features

A história da música extrema contada em crimes e mitos, parte I

Diogo Ferreira

Publicado há

-

nattramn

-/-

Gorgoroth, Mayhem, Gaahl e Faust
Em 2004, os Gorgoroth passavam pela cidade polaca de Cracóvia para dar um dos concertos mais míticos da história do black metal: arame farpado, figurantes nus pendurados em cruzes e cabeças de ovelha decepadas. Foram acusados de blasfémia e crueldade animal, sendo que a primeira terá tido mais força por algo tão extremo ter acontecido no país-natal de João Paulo II, Papa que exercia funções na altura. O DVD viria a ser lançado em 2008 com o título “Black Mass Kraków 2004”.  Os Mayhem também o fizeram, com cabeças de porco, mas isso ao lado de homicídios e suicídios é para meninos – Dead suicida-se em 1991 e Euronymous, contra a vontade de Necrobutcher, tira fotos ao cadáver originando uma capa para “Dawn of the Black Hearts” (1995), e Varg Vikernes (também envolvido em fogo-posto, seja praticado ou incitado) assassina Euronymous em 1993. Voltando a Gorgoroth, o antigo vocalista da banda, Gaahl, ficou igualmente conhecido por torturar um homem durante várias horas. A vítima chegou a afirmar que o músico começou, a certa altura, a colectar o sangue num copo – continuamos a achar que era para não sujar a carpete e que tudo isto não passava inicialmente de um jogo homossexual que correu mal. Oriundo de outra banda seminal de black metal, Faust (ex-Emperor) não gostou de ser assediado por um homossexual, de nome Magne Andreassen, acabando por cometer um homicídio datado de 1992.

 

Drabbad, de Ofdrykkja, entra em rampage
“Acontece quando estás fodido”, escreveu um utilizador no Facebook quando os Ofdrykkja, em Fevereiro de 2014, avisaram os seus fãs que Drabbad tinha sido alvejado pela polícia e que estava no hospital. Os suecos são conhecidos no underground pelo seu metal/rock depressivo, pela auto-mutilação e sucessivos internamentos de Pessimist (ex-Apati), e pelas experiências com drogas levadas a cabo por Drabbad (nomeadamente com ecstasy). Nesta ocorrência em concreto, Drabbad saiu à rua de faca na mão e desatou a atacar pessoas, inclusivamente polícias.

 

Black metaller tailandês assassinado por “manchar o satanismo”
Tínhamos acabado de entrar em 2014, mas Samong Traisattha (aka Avaejee) não passaria mais tempo neste mundo. O baixista/vocalista dos tailandeses Surrender Of Divinity foi assassinado em Janeiro desse ano por um fanático que, para além de detestar budistas, cristãos e muçulmanos, queria pôr termo à vida levando consigo alguém que manchasse o satanismo. O feliz contemplado foi Avaejee, que começou o encontro com umas bebidas e acabou com 30 facadas no corpo. Antes da ocorrência, o criminoso terá escrito no Facebook: “Se não o matar, tenho a certeza que alguém o fará.”

 

Stalaggh usam doentes mentais como vocalistas
Com membros anónimos e completamente passados dos carretos, Stalaggh é dos projectos dark ambient/noise mais interessantes da história da música extrema. Um artigo da Metal Injection, de 2011, até refere que o grupo raptou pacientes mentais para gravar as vozes de “Projekt Misanthropia” [n.d.a.: álbum do caraças!]. Se calhar não foi bem assim, mas mesmo que tudo seja alinhavado com as instituições psiquiátricas, a intenção para o álbum “Vorkuta” continua a não deixar de ser fantástica e horrenda ao mesmo tempo: numa entrevista concedida à Noisey, em 2013, um dos membros conta que decidiram usar os berros/gritos de crianças para o referido disco, porque têm «uma forma fascinante de gritar». Contou ainda que uma das miúdas estava em tamanho transe que começou a sangrar dos dedos por raspar com as unhas no chão. Mito urbano? A História também se alimenta de lendas.

 

Nattramn, o mãos-de-porco
De mito urbano em mito urbano chegamos a Nattramn, vocalista/letrista dos suecos Silencer. Mesmo que “Death – Pierce Me” (2001) tenha uns honrosos 74% em 26 reviews no Metal Archives, é crível que o hype à volta da banda não provenha exactamente da música, mas sim da insanidade (verdadeira ou não) de Nattramn. Encarcerado num hospital psiquiátrico após ter tentado matar uma rapariga de cinco anos com um machado (mais uma alegada ocorrência), o sueco é mais conhecido pelas suas mãos-de-porco. A sua paixão por suínos é tanta que lançou, em 2011, o livro “Coração de Porco” (original “Grishjärta”) que consiste em poemas, textos curtos e letras de músicas. As cópias existentes são assinadas pelo próprio, perguntando nós: com que mãos?

 

-/-
A parte II pode ser acedida AQUI.

Features

Nuno Bettencourt, Tom Morello e Scott Ian tocam tema de Game Of Thrones

Diogo Ferreira

Publicado há

-

Consagrada como uma das séries mais populares de sempre, Game Of Thrones, que terminou na última madrugada, teve a capacidade de exultar nos seus fiéis seguidores todas as emoções desde o seu início com o genérico criado por Ramin Djawadi.

No clip abaixo, Djawadi é acompanhado por Dan Weiss (criador da série), Tom Morello (Rage Against The Machine), Scott Ian (Anthrax), Nuno Bettencourt (Extreme) e Brad Paisley numa jam session com as novas guitarras Fender em que tocam precisamente o tema principal de Game Of Thrones com muito free-style solista pelo meio.

Continuar a ler

Features

Sabaton History Channel, ep. 15: o Barão Vermelho

Diogo Ferreira

Publicado há

-

No novo episódio do Sabaton History Channel, Joakim Brodén e Indy Neidell escolhem falar do tema “The Red Baron” que pertence ao próximo álbum “The Great War”, a ser lançado a 19 de Julho pela Nuclear Blast.

O Barão Vermelho é um do ícones heróicos da I Guerra Mundial que, simultaneamente, engloba a mecanização e a romantização da guerra moderna com as suas habilidades e heroísmo. Manfred von Richthofen é o nome verdadeiro do piloto que é, então, recordado em mais um episódio do Sabaton History Channel.

Mais episódios AQUI.

Continuar a ler

Features

Jinjer ao vivo no Resurrection 2018 (c/ vídeo)

Diogo Ferreira

Publicado há

-

Foto: Veronika Gusieva

Abaixo podes assistir à prestação dos Jinjer no Resurrection de 2018. Recentemente disponibilizado pelo próprio festival, este vídeo servirá para aguçar a vontade que os fãs desta banda têm para os ver no Vagos Metal Fest deste ano. Nos quase 40 minutos de concerto, os Jinjer executaram temas como “Words Of Wisdom”, “I Speak Astronomy”, “Pisces” ou “Captain Clock”.

O EP “Micro”, lançado em Janeiro de 2019 pela Napalm Records, é o registo mais recente dos ucranianos que, como referido, actuarão no Vagos Metal Fest, evento que se realiza entre 8 e 11 de Agosto. Stratovarius, Six Feet Under, Satyricon, Candlemass, Death Angel, Watain e Alestorm são alguns dos nomes do cartaz.

Continuar a ler

Facebook

#UltrajeRadar

Ultraje #21