King Heavy “Guardian Demons” [Nota: 6/10] – Ultraje – Metal & Rock Online
Reviews

King Heavy “Guardian Demons” [Nota: 6/10]

Editora: Cruz del Sur Music
Data de lançamento: 22 Junho 2018
Género: doom/heavy metal

“Guardian Demons” é um disco que traz muita nostalgia pelos tempos do doom clássico. Apresenta-nos vários riffs e melodias entusiasmantes e vocais poderosos com alto alcance. Sempre com as suas influências debaixo da manga, é claro que este álbum irá satisfazer os desejos de muitos fãs do género. No entanto, no meio de tudo isto, há qualquer coisa que parece não bater certo.

Os instrumentais são exactamente aquilo que se pretende: são bem encorpados, têm peso e a mistura dá-lhes um bom impacto. Na sua maior parte são contagiantes, apesar de haver algumas alturas em que caem no genérico e previsível.

A grande faca de dois gumes aqui presente é a voz. O seu apelo é evidente, o alcance admirável e a performance de Luce Vee é, no geral, intoxicante. Bastante composta e teatral, às vezes demais. Infelizmente não é raro que a voz se torne um elemento distractivos que retira o ouvinte da atmosfera da música. As letras completamente genéricas e descartáveis não ajudam muito. No geral, os vocais complementam bem o instrumental dando lhe uma força e um dinamismo híper-contagiante (como no refrão da “Doom Shall Rise”), mas há vezes em que a voz parece uma simples teatralidade imposta em cima do instrumental; embora entoada de forma rítmica, ela não parece misturar-se bem. Outras vezes, a excessiva teatralidade cria momentos que não só nos afastam da música, como dão a impressão que se trata apenas de Luce Vee a exibir a sua voz. Dá um ar de try-hard à coisa. Felizmente isto não acontece na maior parte do disco, mas acontece com frequência suficiente para ser notável.

No seu melhor, King Heavy soa como uma sequela pertinente dos pioneiros do género, mas existem demasiadas vezes em que, devido à performance vocal, secções das músicas parecem uma versão de doom metal dos Marillion. Se isso não vos incomoda, então decerto que irão adorar o que este álbum tem para oferecer; por aqui, no entanto, os vocais foram demasiado distractivos e uma infeliz sombra num disco com muito potencial.

6/10
Topo